Mais um Milagre -10 em 5 anos

moccatati-melhorAí, depois do batido da lata, a pessoa está sentada com um fornecedor de vinhos para agradecer as garrafas que levou para os clientes degustarem, então ele encontra um amigo, sentado na mesa ao lado que iria almoçar sozinho e, lógico, eu o convido a se juntar a nós.

Conversa vai, conversa vem, conto do meu projeto de fazer 10 maratonas com alto grau de dificuldade em 5 anos e das duas que já completei, Grande Muralha e Deserto do Atacama.
A conversa flui, ele conta que conheceu um casal franceses que viajavam o mundo todo de bike.

Explico, ou pelo menos tento, a força da mudança que esse projeto trouxe pra minha vida, conto como alguém que já atuou em duas multinacionais, com um currículo acima da média, mãe de duas, separada há 10 anos, hoje, sem renda fixa há 16 meses, sem carro, trabalhando como hostess durante o almoço e, literalmente, “vendendo o almoço para pagar a janta”, e apesar de ter perdido amigas e ser incompreendida por familiares, NUNCA esteve tão feliz.

Terminado o almoço, o amigo do fornecedor, tira o cartão pessoal da carteira e fala:
-“Me manda a data da sua prova em Machu Picchu, mas não demora, as passagens minha empresa vai te dar.”

E assim, mais um milagre acontece e, essa jovem senhora, que hoje não tem nem 10 reais na carteira, mais uma vez se torna a pessoa mais feliz do mundo!
Se isso não for obra divina, é o que?
Obrigada meu DEUS!

LB

A Insanidade de Ser de Verdade

seja-de-verdadeEstranhamente, ontem, antes de me deitar, talvez por cansaço, não conseguia me lembrar que dia era…

Acabei dormindo sem me dar conta que acordaria em Dezembro, ainda bem, pois com toda certeza o sono seria substituído por incertezas e medos.

Mas ele chegou…o último mês de um ano duro, para uns mais do que outros, pra mim, uma transição, um ano de muitas importantes mudanças, penúria e conquistas, a maior delas o meu encontro com a fé.

Em 2016 perdi grandes amigas que não entendem as minhas escolhas, ganhei e reencontrei outras tantas que me deram até cesta básica quando achei, de verdade, que seria o fim…

Fiquei doente, seriamente deprimida, talvez a coisa mais assustadora que já me aconteceu, pois fazia parte do time que acredita que “isso nunca aconteceria comigo”, tive dois episódios de não saber onde estava, apagões, no meio da rua…não desejo a ninguém as sensações que tive nessa fase que, graças a minha irmã, que mesmo de longe atendeu meu pedido de “socorro”, enviado assim, escrito, via Whatsapp sentada no chão do banheiro para que as filhas não vissem o meu estado. E foi então que duas queridas, Lu e Carla vieram me salvar…(me tratei e estou bem)

Enfrentei uma batalha judicial injusta, fui chamada das piores coisas que qualquer um pode imaginar, vomitei ao terminar de ler a petição e tive raiva de deus: Mundo cão!

Sem falar com meu pai, por escolha dos dois, por quase um ano, me vi totalmente só, eu e meus 190 mil seguidores, esses, também, o motivo de muita gente ter se afastado, não aceitam, não entendem ou se envergonham da minha super exposição.

Mas a fé, essa coisa inexplicável, me manteve firme nos meu propósito, inabalável na certeza de que sou assim, sou de verdade e que o que quero para minha vida é contar e inspirar.

Então, como se para reforçar a minha fé, Deus me deu muitas vitórias, conduzi a tocha olímpica, fui correr na China, na Grande muralha, sem nem um centavo…terminei em 14° da categoria em 5:29h de prova. Seis meses depois fui pro Chile, novamente 42km no deserto…uma prova dirá e com aluguns milagres ao longo do percurso, anjos que surgiram e que nunca saberei se foram reais ou não, o que não me importa, foram anjos e Deus me deu a glória de terminar em 2° da categoria.

Da mesma forma, no meio de um treino longo, o Espírito Santo me tocou, me dei meu preciso e fui correndo até a casa do meu pai, a quem pedi perdão entre abraços e muitas lágrimas.

Ontem, sem me dar conta que hoje estaríamos em Dezembro, fechei meu primeiro patrocínio, assim, em um encontro fortuito, no fio do bigode, e o Dudu da Casa Da Insanidade Mental, prometeu me ajudar a conseguir as passagens ou alguma outra coisa (falei que aceitava qualquer coisa) para ir correr e as maratonas que pretendo em 2017, Machu Picchu e Deserto do Saara.

Então hoje, quando ainda deitada, cansada, quando me dei conta de Dezembro, resolvi escrever e contar, que Jesus é mesmo meu pastor, e nada me (nos) faltará.

Bom dia e que não percamos a fé e a insanidade de ser de verdade!
Amém.

LB

10 em 5 anos

atacama-laura-barretoAmanhã volto a treinar, 2 semanas (sofridas mas necessárias) sem correr pra poupar as articulações e descansar. E o resumo do ano 2016 foi assim:

# Maio – Maratona da Grande Muralha , China – 5.164 degraus e 42k – 14° lugar na categoria.
# Novembro – Mountain Do Deserto do Atacama, Chile – 42k no deserto mais árido do mundo- 2° lugar na categoria.

Ano que vem os planos são Maratona do Deserto do Saara, no Marrocos e Machu Picchu, no Peru.

A ideia é fazer 10 maratonas com altíssimo grau de dificuldade em 5 anos, finalizando no POLO NORTE.
laura-china-greatwall
E assim vou, mãe de duas adolescentes, ainda sem nenhum patrocínio, desempregada há 15 meses, vivendo de “bicos”, sem grana nenhuma,contra tudo e todos, sendo criticada, chamada de louca, mas conhecendo um monte de gente bacana e reforçando que pessoas comuns são capazes de feitos extraordinários, que com fé e vontade podemos muito mais do que imaginamos e que vale sim, muito, correr atrás dos nossos sonhos, porque a vida, assim como a largada e a chegada de uma prova, são instantes que valem todo o esforço.

Bom dia e uma ótima semana para todos nós!
LB #10em5anos #voucorrendo #laurabarreto #ociodooficio

 

O Começo do Fim

Versão Laura sobre o pecado original e a expulsão do paraíso:

Deus criou Atpm-evadão, o cara vivia “de boaça” no Eden.
Daí um dia, Deusão, entediado com sua versão “The Sims Universal”, pegou o Adão, tirou um bit de costela dele e criou a Eva.
Eva podia fazer o que quisesse, bolsas, sapatos, botox, comia e não engordava, afinal estavam no paraíso, uai! (o paraíso é meu, imagino como quiser)

A única proibição era comer o fruto proibido.
Então, um dia, a louca, de TPM, esqueceu de tomar sua fluoxetina, bateu um “plá” com a serpente e, em 5 minutos, pronto, acabou convencida que “a vida era dela, Deus não era seu pai nem sua mãe, não mandava nela e ela não não tinha pedido pra nascer.”

Comeu a maçã e ferrou tudo…
Deus ficou “p” da vida, expulsou Eva e Adão (ele era incumbido de cuidar dela mesmo na TPM) daquela vida boa, deu um “reset” no jogo, mandou os dois irem ralar pra aprender.
Adão “garrou ódeo” de Eva, os dois resolveram se separar e foi então que, pra punir a serpente, Deus a transformou em advogada de família.

Aprendendo Com os Felinos

Até mesmo antes de me apaixonar por gatos (sempre fui uma “dog person”, ou mais especificamente uma “lab person”) ouvi dizer que “gatos são cães que fizeram análise”, porém nunca tinha entendido isso de forma tão concreta até adotar a Catarina.
Já tínhamos Mel e Ozzy, os dois adotados filhotes; Mel, a primeira, meu xodó, a mais com cara de “vira-lata”, séria, curiosa e dona da casa. Ozzy, um fanfarrão, lindo (era horrível quando o adotamos), peludo, adora provocar as suas e vive pra cima e pra baixo com seu “mickey”, um ratinho de borracha, pela casa, é tímido e medroso com desconhecidos.
Então, um dia, la lá estava passando em frente ao shopping do bairro quando vi a feira de filhotes, eu sei que não devia, mas parei pra ver e ainda chamei as meninas.
Um monte de gatinhos, cada um mais fofo que o outro e, em uma gaiola maior, ela, uma linda gata branca, meio amarelada de sujeira, virava a barriga pra ganhar carinho, o que eu nunca tinha visto!
Como é raro encontrar gatos adultos para adoção, quis saber o caso dela.
Catarina morava em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), era alimentada pelos enfermeiros e fazia companhia aos pacientes, até o dia que apareceu prenha…
Preocupados com o que fariam com os filhotes, alguma boa alma chamou a ONG, que a buscou, fez ultra-som, e constatou se tratar de uma gravidez psicológica, e então a castraram.
Agora ela estava ali, olhando pra mim com a barriga pra cima…era muito pouco provável que alguém a adotasse.
Então a, apesar de achar que realmente é muito gato pra um apt pequeno, a trouxe para a casa.
Claro que os outros dois detestaram… “Quem era aquela invasora? Como assim teriam que dividir a atenção dos moradores da casa?” e ela foi (e é ainda) maltratada e colocada pra correr inúmeras vezes apesar de usarmos todos os subterfúgios conhecidos, como por exemplo passar essência de baunilha nos três para igualar o odor (o que recomendo, pois além de tudo, é uma delícia o cheirinho que fica na casa).
Ela não pode tomar água no tanque, tem que esperar os dois, é sempre a última a comer e muitas vezes, quando estava no meu colo é colocada pra correr…
Porém, apesar de ser maior e a mais bonita dos três, nunca se impôs, sempre espera e parece não se importar com a atitude dos outros, quase como se soubesse o quanto tem sorte de estar sob um teto, protegida dos maus tratos, alimentada e amada.
E assim, hoje, Catarina ensina…precisamos ter paciência, gratidão é fé. Sempre!

LB

(Foto em tempo real, agora, Mel e Catarina na minha cama. Ozzy está enchendo o saco da tartaruga….kkkk cada um tem o seu jeito e tempo pra aprender)