Histórias para Dividir

Tava aqui procurando um filme pra assistir até o sono chegar e então um monte de lembranças ocuparam minha cabeça…

Eu adoro filmes, não sou grande entededora, mas já tive até uma locadora de DVD (coisa antiga, né?), há 10 anos.

Uma das minhas clientes era uma senhora alemã entre 70 e 80, com um marido invalido em virtude de um AVC, que moravam em um condomínio a cerca de 10km da minha loja.

Toda segunda ela me ligava, pedia pra eu escolher 7 filmes, um pra cada dia da semana, porque, segundo palavras dela, vivas na minha memória, gostava de “ouvir uma historinha antes de dormir”.


Não demorou, e como eu levava os filmes pessoalmente e perguntava a opinião dela sobre as escolhas, passei a ser convidada para um chá antes de voltar pra casa.


Então eu fechei a locadora, me separei, mudei e nunca mais a vi….
Hoje me lembrei dela, do gosto comum pelas historinhas, da forma leve de encarar a vida e rezei para esteja bem, seja como for, e que um dia, quando eu estiver velhinha, espero que alguém venha também dividir histórias e tomar chá comigo.

Amém.
Boa noite.

 

O Poder do Agora

“Deixe suas esperanças, e não seus ferimentos, moldarem seu futuro.”
Robert H. Schuller

De uns tempos pra cá, faço uma caminhada de quase 10km diariamente, do ponto de ônibus até o trabalho e vice versa.
Às terças e quintas, essa distância aumenta 4 km, além dos 5km iniciais, faço o percurso correndo e subo a Raja toda até o Buritis.

Quando ainda não conhecia bem o trajeto e as distâncias, ficava aflita, agora já sei quanto tempo até cada sinal leva pra abrir…então venho refletindo sobre a vida e tentando focar no “agora” (Nossa, como isso é difícil!), da mesmo forma, procuro voltar a mente para coisas positivas, o que também não é fácil, mas, as três coisas, a caminhada, o pensamento positivo e o foco no “agora”, têm me feito bem.

Daí hoje me peguei pensando:
“As pessoas trabalham de segunda a sexta, geralmente estressadas, pressionadas, infelizes, a grande maioria com o objetivo único de ganhar dinheiro, pagar contas e comprar coisas…não quero isso pra mim. Quero trabalhar feliz, e isso não depende do emprego, depende de mim…posso fazer isso em qualquer lugar.”
Pagar contas não tenho como escapar, inclusive me lembre que a de luz está vencida e a da Net também (imediatamente dá o aperto no peito, “volta pro agora Laura”!).


“Nossa, essa avenida Barbacena é linda mesmo!” (assim que funciona!)


Bem, continuando, meu objetivo é maior do que comprar isso ou aquilo, quero conhecer o mundo correndo, ajudar pessoas e escrever sobre isso… é o meu sonho, e isso ninguém ninguém me tira.


Liguei então pro Hospital da Baleia, viagem pra Maratona do Deserto do Atacama marcada, inscrição feita e o formato de uma nova campanha, que não cause confusões ou mal entendidos, pronta na cabeça, e lá 
vou eu.


Bom dia
LB

36 coisas que pessoas com ansiedade gostariam que seus amigo soubessem

The Mighty perguntou aos seus leitores que sofrem de ansiedade o que eles gostariam que seus amigos soubessem.

Vejamos o que eles têm a dizer:

  1. “O que pode parecer irracional para você, é bem real para mim.” — Paige Johnson
  2. “Eu nunca sei quando a ansiedade vai atacar. Quando isso acontecer, vou precisar da sua ajuda.” — Dani Hazlewood
  3. “Eu não estou evitando você. Em certos momentos, pode ser difícil falar ao telefone e fazer planos. Não é como se eu não quisesse desesperadamente conversar. É que nem sempre eu consigo.”— Marie Abbott Belcher
  4. “Não desista de mim quando eu me isolar.” — Jen Jolly
  5. “Ajuda muito quando alguém que eu amo e confio me lembra de respirar fundo.” — Tania Lynne Sidiqi
  6. “Seja paciente comigo; a ansiedade nem sempre se manifesta com um ataque de pânico. Ataques de raiva, que parecem uma manifestação extrema de frustração também são comuns.” — Tabitha Rainey
  7. “Mesmo quando tudo está bem, eu fico esperando algo horrível acontecer.” —Lindsay Ballard
  8. “Quando estou muito silencioso, não é tristeza, tédio, cansaço ou qualquer outra coisa. Às vezes, acontece tanta coisa ao mesmo tempo na minha cabeça que não consigo perceber o que está à minha volta.”— Amanda Jade Briska
  9. “Infelizmente, não posso apertar um botão e desligar a ansiedade.” — Katie Keepman
  10. “Em alguns momentos, sinto ansiedade, mas não tenho ideia do motivo pelo qual estou ansiosa.” — Laura Hernandez
  11. “Tudo pode mudar em menos de 30 segundos. Posso ter ataques se houverem muitas pessoas à minha volta, se não houver uma saída conhecida para uma determinada situação, etc.” — Ashleigh Young
  12. “É sério — não é você, sou eu. A ansiedade generalizada é como estar se afogando o tempo todo. Algumas situações da vida intensificam esta sensação. Não leve para o lado pessoal quando eu tiver dificuldades em fazer planos.”—Cory Lee Tyler
  13. “Quando você me perguntar se está tudo bem e eu disser que sim, não pense que não confio em você. Na minha cabeça, você pode parar de me enxergar como uma pessoa gentil, divertida e tranquila se souber a verdade.” — Arianne Gaudet
  14. “Desculpe. Peço perdão por cada convite que recusei, por todas as vezes em que pareci irracional ou desagradável porque estava me sentindo oprimida e amedrontada. Peço desculpas pelas vezes que disse que faria algo, mas não fiz. Desculpe por minha ansiedade também afetar você.” —Melissa Kapuszcak
  15. “A ansiedade não tem um rosto. Não preciso estar tremendo ou ofegando para ter um ataque de ansiedade.” — Vicki Blank
  16. “Quando eu fico ansiosa demais para sair de casa, preciso que você me procure. Preciso saber que alguém se importa comigo e sente minha falta.”— Hayley Lyvers
  17. “Não me exclua. Minha ansiedade pode me impedir de fazer certas coisas, mas um simples convite pode mudar meu dia para melhor.”— Vikki Rose Donaghy
  18. “Por causa da ansiedade, eu analiso as coisas o tempo todo. Por mais que isso seja cansativo, não consigo desligar meu cérebro.” — Cailea Hiller
  19. “Ansiedade não é uma atitude.” — Clare Goodwin
  20. “Não precisa tentar me curar. Por favor, apenas me ame como eu sou.“— Carole Detweiler Oranzi
  21. “Quero pedir desculpas por todas as vezes que fugi de você. Por todas as vezes que precisei ir embora mais cedo e você não entendeu. Por todas as vezes que precisei lhe dizer não.”— Mary Kate Donahue
  22. “Na maioria das vezes, você não saberá que estou tendo um ataque de ansiedade se eu não disser.” — Kylie Wagner-Grobman
  23. “Se eu não me sentir confortável fazendo algo, não insista. Tentar me convencer só piora as coisas.” — Jennifer DiTaranto
  24. “Muitas vezes, a ansiedade me impede de socializar. Quando eu cancelo algo de última hora, nunca é devido à preguiça ou hostilidade. Saiba que se você precisar de mim, estarei ao seu lado da maneira que eu puder.” — Bridget Hamilton
  25. “Na maior parte do tempo, não sei direito o que acontece na minha cabeça. Eu entendo que posso ser complicada às vezes, mas suas tentativas de me compreender são muito importantes para mim.” — Avery Roe
  26. “Por favor, não me diga para superar isso ou que estou sendo boba.” — Carla Estevez
  27. “Quando eu cancelar planos com você sem explicar demais é porque tenho medo de admitir que estou sofrendo de ansiedade. Não tem nada a ver com você… é tudo culpa dos meus ataques de pânico.”— Dorie Cabasag-Smith
  28. “Por mais que eu costume recusar certos convites, continue me convidando assim mesmo. Alguns dias são melhores do que os outros, então minha resposta pode surpreender você. Seja paciente.”— Kara Edkins
  29. “Não leve para o lado pessoal quando eu não quiser sair. Minha zona de conforto é a minha casa. É o único lugar onde me sinto segura.”— Elizabeth Vasquez
  30. “Quando eu disser que não consigo aguentar mais nada, não é força de expressão.”— Christine L Hauck
  31. “Quando não consigo fazer algo, ninguém fica mais desapontada do que eu. Por favor, tente entender isso.”— Lindsey Hemphill
  32. “Em alguns momentos, eu só preciso ficar sozinha. Não é nada pessoal. Eu não sou louca. Não tenho problema algum. Só preciso sacudir a poeira e fazer algo divertido. Algumas vezes, preciso ficar sozinha para respirar fundo e me acalmar.” — Stacey Weber
  33. “Toda vez que conversamos, cada palavra da nossa conversa passa pela minha mente várias vezes. Se eu disser algo que talvez não devesse ter dito, mesmo que não seja nada do outro mundo, isso pode me deixar obcecada por anos.”—Chelsea Noelani Gober
  34. “Eu não me defino por minha ansiedade, então não pense em mim desta forma.” — Abi Wylie
  35. “Eu sei que posso parecer ridícula às vezes, mas por favor, me ame assim mesmo.” — Melissa Renee Wilkerson
  36. “Dê-me um pouco de espaço, mas não se esqueça de mim.” — Vickie Boyette

* Algumas respostas foram editadas e encurtadas para caberem neste artigo

Fonte: http://www.sabiaspalavras.com/36-coisas-que-pessoas-com-ansiedade-gostariam-que-seus-amigos-soubessem/

Roteiro Novo

Lá estava eu, voltando do trabalho, salto na mochila, tênis no pé com roupa social (uma marmota, mas phoda-se), andando tranqüila com iPod no bolso, Guarani FM pra relaxar, cantarolando e nem ligando pra se acharem que sou doida (sou mesmo e estou medicada), a caminho do meu ponto de ônibus.
Ando exatamente 3,7km até o ponto, pra economizar um e pegar só o executivo até o Baixo Belvedere (vulgo Buritis e eu pobre soberba).

Então uma motona, dessa gigantes, sobe no passeio, o cara de capacete, fala: “oi Laura”.
A enjoada, famosa de facebook e rica de banco imobiario, ainda faz um tipo, franze a testa (Botox vencido) e pergunta: quem é vc?

O cara tira o capacete e era o Malvino Salvador, bem, nem tanto…mas era um amigo e eu estava em frente a casa dele.
Cara de pau (como sempre) pergunto se não tem outro capacete e peço carona.
Tirei casquinha e tudo mais, abracei com vontade! rs
E assim, ao melhor estilo, “Easy Rider”, adentrei no meu território e cheguei revigorada em casa!

LB

Moral da História: Deus é um cara muito divertido, sarcástico, bem humorado e ótimo roteirista…o negócio é fazer a nossa parte, confiar nele e curtir o que vier.
Amém.

Pois é…

Adoro as “recordações do facebook”, talvez o único lado bom de ser “frenética” nas redes sociais, consigo saber exatamente o que estava fazendo, dia após dia.
Pois bem, há exatamente um ano eu voltava a correr na rua depois de ter fraturado o fêmur, um “longão” de 6km em 40min.
Pois é, quem diria que 10 meses depois eu iria pra China, correr a 5a maratona mais difícil do mundo e termina-la com 6:29h de prova, em 17o na minha categoria e 144 geral?!
Pois é…
Quem diria também que nesse mesmo período eu iria publicar e lançar meu primeiro livro, sem 1 puto no bolso, e vender 1000 cópias sem nenhuma grande editora, distribuidora ou livraria por trás?
Pois é…
Quem diria que eu seria convidada para ser uma das condutoras da tocha olímpica em sua passagem por Ouro Preto; e que depois doaria a tocha que é vendida na internet entre 5 e 30 mil para o Hospital da Baleia (que tanto adoro) e que ainda seria acusada de ter algum tipo de interesse nisso…
Pois é…
Quem diria que com passagem por duas grandes multinacionais, mais de 25 anos de “carteira assinada” , seria mandada embora (pela primeira vez) e ficaria 13 meses desempregada, mas mesmo assim, sabe Deus como, daria conta da vida sem contar com quase nenhum apoio?
Pois é…
Quem diria que aos 46 anos, motorizada desde os 20 (e eu comprei meu primeiro carro), iria voltar a encarar 3h de ônibus por dia?
Pois é?
Quem diria que um dia, do nada, o cansaço disso tudo, junto com a sensação de abando e solidão se abateriam sobre mim de uma vez só, e uma tristeza maior que mundo iria sugar toda minha força e alegria e me deixar de cama?
Pois é…
Quem diria que com 9 mil seguidores aqui, 140 mil na fan page, 1500 acessos diários no blog e alguns tanto no Instagram (não sei quantos e to com preguiça de olhar), eu iria confessar essa “dor” assim, na cara e na coragem?
Pois é…
Hoje estou bem, consegui uma boa recolocacão no mercado e, apesar de ter que abandonar ou deixar pra depois um monte de sonhos, espero corresponder as expectativas.
Tenho feito um esforço hercúleo pra não entregar os pontos…mas não se enganem, não tem sido nada fácil.
Sabe o que é o pior? Eu digo, já deu pra perceber que conto tudo, né? Conto mesmo, “a verdade liberta”…
O pior de tudo é ter que ouvir que “eu reclamo demais” , que “exponho minhas filhas pra conseguir caridade” ou que “preciso manter os pés no chão.”
Pois é…
Pois é?!
Pois é o “catso”!
Eu preciso é de voar, eu preciso é só de asas, de um empurrãozinho, e ninguém me segura.
LB