Archive for Comunicação e marketing

O que você faria?

Resultado de imagem para gente do bemOntem quando fui gravar o vídeo do papel higiênico pendurado na calça, a primeira pessoa que resolveu me avisar, foi um mendigo, mendigão mesmo, daqueles cor de terra, sabe? (Minha filhas chamam de “mendiguinho terra”)

Ele deu uma gargalhada e me gritou, voltei e apertei a mão dele, com carinho, agradecendo…

Ok, foi emocionante, mas depois fiquei pensando onde aquela mão já pegou e fiquei com vontade de amputar a minha.
Ah, para com essa chatice, não posso achar bacana a ação, mas ter nojo de pinto de mendigo!?


Álcool gel e fogo? kkkkkkkkkkkkk
(Vou postar)

LB

Seja honesto consigo mesmo…

Foto: Assim também mudamos um país!Sem opinião formada sobre a a PEC 37…  Sensação de “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.
E quer saber do que mais?! Tô achando que essa barulhada vai dar em nada… Desculpem, talvez a idade tenha me deixado dura demais, mas, de verdade, quando analiso o tanto de coisa atrapalhada nesse país, a única mudança que me vem à cabeça é mudar daqui!

Não vou fazê-lo. Porém, falo a verdade, me comprometi com ela, e isso sim, pelo menos pra mim, faz a diferença.
Vão pra rua mesmo, mas pelo menos saibam porque e comecem a mudança por si mesmos, oras! Muitos que estão nas manifestações (on ou offline) -me arriscaria a dizer que a maioria – não se comprometem nem com a própria mãe, quem dirá com o trabalho ou seja lá com o que, ou a ideologia que for, não têm fidelidade com nada a não ser com os próprios umbigos…falam demais, mas não dão bons exemplos: furam fila, compram filme pirata, estacionam nas vagas reservadas a idosos e deficientes, bebem e dirigem, etc. Querem, ao melhor estilo Gerson, levar vantagem em tudo. Tô mentindo?! Claro que existem exceções e quero muito acreditar que esses farão a diferença,contudo não consigo, me desculpem.

Bem, não pretendo me mudar daqui, amo meu país, amo isso aqui apesar de tudo…então, para mudar, não vou as ruas, mas faço a minha parte, educo minhas filhas para serem pessoas honestas, íntegras e de bom caráter, trabalho, me comprometo, procuro dar exemplo,
ajudar e respeitar ao próximo, leio, me informo e voto com consciência… Sabe por que? Porque acredito que a mudança começa em cada um. Vão pra rua SIM! Mas deixem elas limpas e seguras para quem vem depois, tá? Não é uma micareta…leia, pesquise, converse e, depois sim, vá às ruas.

Laura Barreto

Ufa, desabafei…

 

Legado Lula

“Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar a todas por todo o tempo.”

Abraham Lincoln

Normalmente eu não uso o blog para dar minhas opinões polítcas, mas em virtudes dos últimos acontecimento senti-me na obrigação de fazê-lo.

Então hoje, quando  li o o comentário abaixo no no Facebook, fui praticamente obrigada a responder. Olha só e raciocine comigo:

“Nas ruas, a chamada “onda vermelha” defende o legado de Lula”…

Fiquei aqui pensando: “Legado?!”

O legado de Lula está nas ruas!

O legado de Lula são milhões de pessoas que ele tirou da linha da pobreza ( parabéns), colocou-os na classe média, deu casa (financiada pelo resto da vida), carro (quase idem), geladeira, fogão etc ( tudo as custas de redução de IPI e muito crédito para quem não tem crédito), mas se esqueceu que só isso não basta.

A economia parou, as ações assistencialistas – sem prazo para acabar – só crescem e o povo continua sem aceso à educação, transporte, segurança, saúde e trabalho digno…

Eu não sou economistas, aliás sou péssima com números, mas não precisa ser nenhum gênio pra saber que esse Mantega é um bosta!

Fora isso, o único outro legado que Lula deixa, pelo menos para mim, é a confirmação de que Abraham Lincon estava certo! E que a mudança acontece sim, mas ela tem que começar dentro de cada um. Pare de fazer as coisas erradas e justificar com outas mais erradas ainda. Faça a sua parte, faça o que é certo e vote com consciência!

Laura Barreto

P.S: Não tenho nenhum objetivo de fazer do meu blog um espaço de campanha nem nada do tipo, mas dessa vez, como o povo, não me contive! definitivamente, não é pelos R$0,20!

Laura, Espírito de Porco e Pedro Augusto

O Ócio do Ofício em números:

877 Textos escritos

853 Textos publicados

1.500 acessos únicos/ dia

4.624 comentário publicados

185 comentários que achei melhor não desperdiçar energia

16.670 comentários tipo “spam”

29.500 seguidores

Esses são os meus números em 2 anos e 10 meses de blog, 43 meses, quase 20 textos por mês, praticamente um por dia se considerarmos somente os dias úteis. É muita coisa! Claro que tem muita porcaria e alguns textos que até me arrependo de ter escrito, mas que também não tenho coragem de apagar…fazem parte da minha história. Erros e acertos, mais erros que acertos… infelizmente, mas a vida é assim.

Ainda tenho muito que aprender, sei que não escrevo bem, sei também que muita gente detesta, critica e debocha… mas não me importo, mesmo porque escrevo pra mim, adoro e me faz bem! Adoro ainda mais os comentários e ser reconhecida na rua! Ah gente, quem fala que não gosta está mentido, elogios e agrados fazem qualquer critica virar “café pequeno”! Já dei até autógrafo na rua, pensa bem! hahaha

Pois é, agora fui convidada para escrever um esquete ( um pequeno conto) para o teatro… Já rascunhei alguma coisa, mas nada ainda que passasse pelo crivo do Pedro Augusto, meu único neurônio e co-autor desse blog. Esse trabalha, tadinho, muito!

O bichinho fica desorientado quando eu sento no computador e escrevo como se tivesse recebendo um espírito, praticamente a “Chica Xavier” do mundo cibernético “psicodigitanto” um monte de “m” (por vezes desconexas) e publicando sem ao menos uma leitura prévia. Revisão? Esquece! Fora a mania de usar reticências… e de inventar termos e jargões. O Pedrinho lê , é esforçado e faz de tudo para eu não fazer muita besteira, mas quem manda aqui, para o seu desespero, é o incontrolável espírito de porco obsessivo psicodigitador.

Tá vendo, agora mesmo, foi ele….estávamos falando do que mesmo? Ah, era do teatro. Pois bem, aceitei o convite e claro, como tudo que faço, já empolguei, por mim quero até entrar em cena. Claro que estou com medo, só tem fera no projeto, sou a única amadora!

E se quer mesmo saber, “Moléstia” à parte, e revendo os números, percebo que não foi por acaso que cheguei até aqui, é prazeroso sim, mas dá um trabalho danado!Eu mereço!
Como dizia minha mãe (essa sim escritora de verdade): “Para quem trabalha, não falta trabalho.”

Que venham, portanto, mais desafios! Muitos mais, porque estamos (eu, o esprideporco e Pedro Augusto) só no começo, o melhor ainda está por vir!

Beijos,

Laura Barreto

Banco Som Sabadell: flash mob e Bach em praça pública

Algum tempo atrás, flashmobs eram moda. Tinha pra todo gosto, desde dancinhas coreografadas, caminhada zumbis, tiroteios com mãos, uma série de ideias viraram hits no You Tube. Algumas não deram muito certo porque perdiam aquilo que torna a ação efetiva: a aparente espontaneidade. Nesse caso, o lado espontâneo do flash mob do Banco Som Sabadell, que nos seus 130 anos de vida promoveu esse encontro de músicos da Orquestra Vallès Symphony, the Lieder, Amics de l’Òpera e o coral Belles Arts, tocando parte do 4º movimento da 9ª Sinfonia – An Die Freude (Ode à Alegria) de Beethoven, está na música, um crescendo sonoro que vai sendo adicionado de outros sons e que termina numa imensa fanfarra musical que arrebata corações e mentes de homens, mulheres e crianças que foram sortudos de estarem nessa praça nesse dia.

Muito bom!