Archive for Gente Esquisita

O que você faria?

Resultado de imagem para gente do bemOntem quando fui gravar o vídeo do papel higiênico pendurado na calça, a primeira pessoa que resolveu me avisar, foi um mendigo, mendigão mesmo, daqueles cor de terra, sabe? (Minha filhas chamam de “mendiguinho terra”)

Ele deu uma gargalhada e me gritou, voltei e apertei a mão dele, com carinho, agradecendo…

Ok, foi emocionante, mas depois fiquei pensando onde aquela mão já pegou e fiquei com vontade de amputar a minha.
Ah, para com essa chatice, não posso achar bacana a ação, mas ter nojo de pinto de mendigo!?


Álcool gel e fogo? kkkkkkkkkkkkk
(Vou postar)

LB

Cantada do Chuveiro

Moço da coxinha*, a saga:
No mês passado um cano estourou no banheiro das minhas filhas…o aquecedor (Cardal) não desarmou, eu não vi, e com o calor os canos de cobre derreteram dentro da parede e alagaram o apt do vizinho do andar de baixo.
(Dá pra imaginar a bagunça, “preju” e dor de cabeça, né? pois é…)

Liguei então para o meu amigo Leopoldo Gratarolli, dono da Instalar Fácil e consegui resolver tudo em um dia só por menos da metade do preço que o primeiro bombeiro havia me cobrado. Porém, por opção e economia, desativei o tal aquecedor e fiquei de comprar um chuveiro elétrico normal para colocar no lugar.

É…mas a grana apertou por conta desse e outros imprevistos e o chuveiro foi ficando na história, todo mundo usando o meu enquanto isso.

Aí hoje, sem me lembrar de nada disso, o moço me manda uma msg: ” 110v ou 220v ?

Pensei comigo, “pronto, arrumei um tarado perverso”…hahahaha Que nada, é muito melhor do que isso, é carinho!

Teremos banho quentinho no final de semana! Obrigada!

LB

(Agora eu faço o nome do Pai, agradeço e tomo outro banho, de sal grosso, que é pra espantar o mal olhado e a inveja, suas encalhadas! kkkk)

(*) Ele me mandou coxinhas de catupiry também, deve ser amor!

O Preço da Liberdade

“Todos querem a liberdade, muitos a possuem, poucos a merecem”
Marquês de Maricá

Hoje tive um daqueles dias…
Fiquei e continuo impressionada como as pessoas querem liberdade mas não estão preparadas para lidar com as responsabilidades e muito menos arcar com as consequências de seus atos, de suas próprias escolhas.

Decepcionada por confirmar (mais uma vez)o quanto a cultura “gersiana” brasileira de sempre “levar vantagem em tudo” está enraizada e como as pessoas trocam a confiança depositada por qq coisa, por nada…mesmo sabendo o quão é difícil é conquista-la.

Então, que me perdoem, mas hoje meu par de tênis vai sair mais cedo do armário, a rua há de me consolar.

LB

P.S: Cabeça tranquila e alma leve…cada um colhe o que planta. Como diria o Rappa:”Eu não preciso de muito dinheiro, graças a Deus! (…)”

Bolo de Cerveja com Coca-Cola

“O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…”

Titãs

Sexta-feira passada vivi uma experiência inédita.

Saindo do trabalho combinei de tomar uma cerveja e comer um espetinho no bar na esquina da minha casa com uma pessoa querida. É gente, com a tal da lei seca o jeito é ficar cada vez mais bairristas e, quer saber, descobre que pode ser ótimo.

Pois bem, direto do trabalho, coloquei o carro na garagem, peguei uma encomenda que chegou pelo correio com o porteiro (uma caixa relativamente grande mas leve que eu não tinha a mínima ideia do que se tratava) e lá fui eu descendo a rua.

Sentei, pedi uma Stella, um espetinho de muçarela (apesar do corretor ortográfico não admitir o certo é com “ç” mesmo, juro!) e a senha do wi-fi  (coisa que não se nega a ninguém) e resolvi esperar sozinha mesmo, tranquila, sem me estressar…

Tomei o primeiro copo quase virado (copo lagoinha, o melhor!) e logo em seguida chegou meu espeto. Peguei a caixa , a chave do carro, rasguei o plástico e abri a caixa. Que surpresa boa, era um kit da Coca-Cola com as garrafinhas comemorativas para Copa com imagens da cidade-sede, seis! Uma estratégia para envolver blogueiros com uma cartinha toda delicada e bem redigida que dizia que eu tinha o perfil  de alegria e vitalidade que eles buscavam. Excelente estratégia, funcionou, olha eu contando aqui!

Quanto tempo devia ter passado, só uns 10 minutos, imagino, então uma dupla de voz e violão começou a se apresentar, uma moça afinadíssima e cantando Epitáfio, do Titãs. Sem perceber comecei a cantarolar. Tirei fotos das garrafinhas e postei nas redes sociais, a música terminou e aplaudi. Talvez tenha sido a única no boteco, já que nas outras mesas conversas animadas rolavam.

Pedi outra cerveja e comecei a “postar” bobagens no meu querido “feicibuque”. Ah gente, como eu gosto disso! Então contei que estava sozinha no bar, contei só para os meus 1700 amigos, quê que tem?!

Imediatamente meu primo Henrique me alertou: “Na hora de ir embora, no caminho pra casa, não olhe ninguém nos olhos ou terá um ataque de risos.”

– Como é besta esse meu primo, e eu adoro! – pensei.

A essa altura vi que tinha tomado um bolo, já havia se passado meia hora, então, quer saber, desce mais uma!

Cantei, pensei, postei, juntei minha garrafinhas, comentei com o garçom que levei um bolo daqueles, ele riu e sugeriu que eu tomasse mais uma (imagino quantas vezes já deva ter ouvido ladainhas parecidas) , aceitei a ideia e parti para a quarta.

A essa altura eu e Stella éramos melhores amigas, confidenciei muita coisa pra ela.

Então paguei a conta, coloquei a caixa debaixo do braço e levantei segura, sem nenhuma vergonha, afinal de contas sou maior, pago minhas contas e fora o banco, meu pai, minha irmã e mais umas duas ou três pessoas, não devo mais ninguém! Rs

Tracei meu rumo, baixei os olhos e lá fui eu. De repente ouvi passos… “Não posso olhar, não posso olhar” – falava pra mim mesma lembrando do primo.

Não resisti e levantei a cabeça, dei de cara com um senhor gordinho passeando com seu cachorro minúsculo que me olhou nos olhos. Imediatamente explodi numa sonora gargalhada, ele riu também (não sei de quê) e assim cheguei em casa, segura e feliz!

O bolo? Bem, esse eu já digeri! A vida é assim, se te derem bolo, faça uma boa cobertura, tome cerveja e coma! E se der ressaca: Coca-Cola!

Beijos,

Laura Barreto

Gente de verdade não sai de moda

Há exato um ano e meio uma amiga, em um raciocínio tortuoso que resultou em um comentário mais desastroso ainda, resolveu me alertar que certas pessoas só estariam andando comigo por que, supostamente, eu estava na moda por causa do meu blog, pois, fora isso eu era pobre e não tinha nenhum atributo físico especial ( leia-se: feia).

Fui pra casa e chorei, chorei… Depois percebi a pequenez da coisa e deixei pra lá. Transferi a pena que senti de mim para a pessoa que acredita que para ter amigos é necessário ser rica e bonita, isso sim é muito triste…

Eu ainda sou pobre, não sou bonita mesmo não, mas não me acho feia… de qualquer forma,nada disso importa, o que conta é que as pessoas permaneceram ao meu lado e continuam chegando mais!

Bom humor, educação,gentileza, humildade, compaixão, solidariedade e alegria nunca saem de moda.

Sejam muito bem vindos (as), adoro GENTE! Gente de verdade também nunca sai de moda e nesse caso, não tenha medo de errar, quanto mais melhor!

Obrigada,

Laura Barreto

P.S: Hoje completo 40 mil seguidores. É MUITA GENTE!