Ela Acordou

Acordou com febre…é,definitivamente ela não está nos meus melhores dias.
Ainda deitada,aproveitando um dos raros momentos em que pode se dar a esse luxo, se pegou pensando na mania que temos de julgar o próximo e como de fato nunca nos colocamos no lugar do outro.

Estava com raiva por ter sido levianamente julgada e destratada no dia anterior…talvez (com certeza) por isso estivesse tão abatida.

Nesse mesmo instante,o sentimento de raiva que estava dessa pessoa teoricamente e convencionalmente “próxima“ que não quis falar com ela,ao telefone, em uma situação pesada…em que todos precisavam ajudar,tranformou-se no mais genuino sentimento de pena,dó.

Sim,afinal de contas,o infeliz não sabe nada da vida dela,não sabe e não quer saber…a sua visão é restrita ao mundo que lhe cabe,e não há nada de errado nisso.

Ele não tem ideia, por exemplo, de que quem estava do outro lado da linha só não passou mais aperto recentemente porque uma amiga lhe deu uma cesta básica e outra, depois,fez um farto super mercado. Ele não sabe o que é rezar para não lhe cortarem o gaz e a luz.
Ele não sabe o que é enxergar-se totalmente só e desamparada e sentir a responsabilidade do mundo em suas costas.

Ele não tem a mínima ideia do esforço que ela faz pra manter um sorriso no rosto apesar disso tudo…

Não, definitivamente ele não sabe.

Ele também não sabe o que é,no meio da tempestade,dar-se conta de que tem muita gente ainda pior do que ela e que, do seu jeito, ainda tem muito o que ofercer, porque tem algo inestimável,a sua fé.

Sim ela tem o Espírito Santo dentro de si, e isso ninguém pode lhe tirar.

É…ela tem amor de sobra,pode e deve dividir e talvez isso, ele nunca sinta.
Que pena.
E ela acordou.

Bom dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *