Uma vida em dois dias

Se eu contasse que passei 2 (dois) dias na Holanda ninguém acreditaria, afinal de contas, é longe pra burro! Pois é, foi verdade.

Peguei 9 graus abaixo de zero, muita neve, uma “friaca” de doer os ossos. Se valeu a pena? Valeu, e muito! Reforçou todas as minhas convicções de que família é a coisa mais importante desse mundo!

Estava em Madrid, a trabalho, minha irmã me mandou as passagens, que não foram baratas. Alice mora na Holanda há 12 anos, por contratempos, filhos, trabalho e falta de grana, ainda não conhecia o seu “brejo de baixo”, como ela carinhosamente chama as Netherlands.

Cheguei na casa dela e encontrei cama arruma e quentinha, jantar à mesa, vinho e flores… Meu Deus, há quanto tempo eu não sabia o que era isso!?  Acho que já tinha até me esquecido como é bom ser mimada.

E como retribuir à altura? Presentes? Não levei…desculpe, mala pequena e muita ansiedade no trabalho, mas sei que “Balas Chita” teriam sido muito bem vindas. Em contra partida levei muito amor, carinho e gratidão.

Gratidão essa que ainda é pouca, perto do que minha irmã fez por mim. Alice me ajudou a virar gente, a tomar as rédeas da vida, a superar obstáculos e adversidades, tomei muito puxão de orelha e ela é boa nisso, viu?! Porém,  mais do que isso, minha irmã acreditou em mim quando muitos, ou a maioria, me virou as costas.

Acho que sabia que apesar dos meus erros (que não foram poucos) que lá no fundo tinha uma alminha boa que precisava ser resgatada, mas que teria que aprender a nadar sozinha, de roupas e sapato (como treinam as crianças lá), se preciso fosse.

Não deve ter sido fácil, o nosso instinto é tirar da água e só, mas ela queria a minha felicidade e isso, meus caros, é amor.

Bati então o pé lá no fundo do canal, quase congelei, muitas vezes achei que não ia dar conta, me faltou ar, apoiei-me onde e como pude, mas consegui, aprendi a nadar e hoje me sinto responsável pelas minhas escolhas.

Acho que nunca poderei agradecê-la à altura (haja Bala Chita!), mas preciso pelo menos que saiba que eu sei… e que o meu amor por ela, como diz minha filhinha Helena, é 8 deitado, infinito!

Sim, eu fiquei só dois dias na Holanda, que valeram por uma vida toda!

Muito obrigada Alice, amo muito você e sua família.

Laura Barreto

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *